A Falta de Saneamento Básico no Brasil e Como Isso Agravou a Pandemia no País

Atualizado: Jul 14



O Brasil é um país com índices baixíssimos de coleta e tratamento de esgoto quando comparado à população total. Dados mostram que até 2019 nem metade do esgoto gerado foi também tratado corretamente; além disso, estima-se que descartamos na natureza o equivalente a 5,3 mil piscinas olímpicas de detritos não tratados. Percebe-se então que o problema de saneamento é de tempos e cada vez mais se torna preocupante, visto que passamos por um período caótico de saúde pública: a pandemia do Covid-19.


É possível o Covid-19 ser transmitido pelo esgoto?

Estudos realizados pela Secretaria de Política Econômica (SPE), afirmam que o investimento no setor de saneamento básico reduz a ocorrência e morte de pessoas pelo Covid-19. Tais dados foram obtidos através da realidade de muitos brasileiros atualmente que perdem a vida em razão da má gestão dos resíduos e a facilidade de contaminação por parte destes.

Evidencia-se também a desigualdade no índice de atendimento total do esgoto, visto que no ranking, as regiões norte e nordeste lideram como as menos assistidas pelo governo. Por isso, reflete-se sobre as diversas vias para transmissão do vírus que vem se disseminando rapidamente no Brasil: Será que basta apenas a adoção de medidas para o distanciamento social? E o esgotamento negligenciado somado à falta de sistemas de abastecimento de água? Não faz diferença orientar-se e ter condições para seguir uma boa higienização?

No nordeste brasileiro mais especificamente, tem-se que 28% do esgoto é coletado e apenas 36,2% é tratado devidamente; com isso conclui-se que 13,6 milhões de pessoas não possuem acesso ao serviço público que lhe é garantido por lei. Visivelmente um problema de saúde pública que apesar de possuir um pequeno acréscimo positivo de esgotamento durante anos, caracteriza-se ainda como um crescimento muito desproporcional visto à grande necessidade que precisamos desses investimentos atualmente.

Todas essas questões precisam ser discutidas, uma vez que novas variantes vão surgindo junto às diferentes vias de transmissão. E por conta disso, o país não está sabendo lidar com a rapidez de ocorrências e consequentemente, dos índices de óbito.


E qual a solução para a contenção?

Tendo em vista todos pontos supracitados, torna-se visível a necessidade da implementação de algumas ações para contenção dessa problemática. O Brasil não enfrenta um problema apenas de saúde pública como também social. Passamos por uma crise sanitária que tem ocasionado mortes com um piscar de olhos. Será que tudo que poderia ser feito, está sendo feito de fato?

É de suma importância que o investimento para as regiões do país sejam feitas de acordo às suas necessidades, visto que umas possuem muito menos atendimentos que outras. Assim, conseguiríamos garantir o direito a saneamento básico, que já se mostrou ser um ponto chave para contenção na proliferação do Covid-19.

Além disso, foi possível perceber também que a má gestão dos resíduos pode ser um fator significante, uma vez que os mesmos são descartados de maneira incorreta. Dessa forma, torna-se fácil que haja a proliferação do vírus e é claro, seja mais suscetível à parcela da população que não possui sistema de tratamento correto.

Uma série de outras medidas que sustentem de alguma forma a causa sanitária e ambiental são propostas tendo em vista todas essas questões. E a ESA Jr é uma delas.


Quer entender mais sobre? Clique aqui (https://www.esajr.com/contato-1) e solicite uma consultoria ambiental para resolução de alguma questão sanitária e ambiental que deseja.


Quer nos referenciar?

MERCÊS, Alanda. ESA Jr. A falta de saneamento básico no Brasil e como isso agravou a pandemia no país. 2021. Disponível em: https://www.esajr.com/post/a-falta-de-saneamento-básico-no-brasil-e-como-isso-agravou-a-pandemia-no-país


Referências:

Mais de 5 milhões de brasileiros não têm água potável nas 100 maiores cidades do país. G1 Globo, 22 de março de 2021. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/03/22/mais-de-5-milhoes-de-brasileiros-nao-tem-agua-potavel-nas-100-maiores-cidades-do-pais.ghtml> Acesso em: 10 de jun. de 2021.

Mortalidade por covid-19 é maior em capitais onde serviços de saneamento básico são piores, aponta Ministério da Economia. Portal Saneamento Básico, 25 de maio. De 2020. Disponível em: <https://saneamentobasico.com.br/outros/investimentos/mortalidade-covid-19-saneamento-basico/> Acesso em: 10 de jun. de 2021.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo