• ESA Jr.

Os efeitos da ausência de Saneamento Básico

Atualizado: Mai 17

A importância de um esgotamento sanitário


Pensando na história do saneamento e ainda o que a falta do mesmo causou a sociedade na idade média com surtos de doenças, como a cólera, peste e diarreia, podemos definir saneamento como uma série de processos que tornam determinadas áreas sadia, limpa e habitável, tornando aquele espaço adequado para a população e produção agrícola. Seguindo essa perspectiva, a Organização Mundial de Saúde (OMS- 1998), define saneamento como "controle de todos os fatores do meio físico do homem, que exercem ou podem exercer efeitos nocivos sobre o bem estar físico, mental e social". Ou seja, na sua forma mais resumida, saneamento pode ser definido como conjunto de ações exercidas para o benefício socioeconômico do homem.


A maioria dos problemas sanitários que afetam a população mundial estão intrinsecamente relacionados com o meio ambiente. Segundo estudos do banco mundial (1993), 30% das doenças em países em desenvolvimento são causadas por falta de saneamento doméstico. A diarréia, com mais de quatro bilhões de casos por ano - doença que tem como um dos motivos a falta de saneamento - causa 30% das mortes de crianças com menos de um ano de idade (GUIMARÃES, CARVALHO e SILVA, 2007). Portanto, a melhor forma de reverter o quadro existente atualmente é investir em saneamento.


O saneamento já tinha sua importância para os antigos povos egípcios, que segundo Cavinato (1992) dominavam técnicas sofisticadas para época de captação, irrigação e métodos de armazenamento de água, tendo em vista que dependiam do período de cheias do Rio Nilo. As práticas que só foram descobertas séculos depois, ajudavam a remover a maior parte dos patógenos presentes na água. Tendo em vista a importância aos povos antigos e, visando a nossa saúde e higiene, a lei recentemente atualizada n° 11.445, de 5 de janeiro de 2017, expõe no artigo 3 inciso I diretrizes que regem o conceito de saneamento básico, tais quais serviços, operações e disposição:


Abastecimento de água: infraestrutura e instalações montadas com o objetivo de abastecer a população de água potável, desde a sua captação até o momento em que chega às suas residências/ empresas e afins, havendo suas respectivas ferramentas de medição.


Esgotamento sanitário: conjunto de instalações utilizadas para coleta, transporte e trato final dos dejetos produzidos. Esse esgotamento faz se necessário para haver um correto tratamento do esgoto gerado a fim de não haver contaminação humana e haja correto lançamento ao meio ambiente.


Disposição do lixo: tratamento e destinação correta do lixo gerado em residências que são depositados em áreas próprias de coleta em ruas, travessas e logradouros.


Drenagem urbana: A falta de drenagem urbana traz inúmeros malefícios ao saneamento, como erosões e alagamentos que podem causar, consequentemente, doenças transmitidas por microorganismos. A drenagem urbana de águas subterrâneas ou superficiais traz inúmeros benefícios, entre eles estão: eliminação de áreas alagadas e, consequentemente de erosões; segurança para a população: redução de acidente e quaisquer outros problemas de trânsito; diminuição de infecções por água contaminada; valorização de propriedades da área drenada; redução de gastos com manutenção de vias públicas e do sistema viário.


A importância da aplicação da LEI N°- 11.445, de 5 de janeiro de 2017 é incontestável tanto para preservação do meio ambiente, quanto na prevenção de doenças. A incorporação das diretrizes sanitárias presentes em lei representa avanços significativos a nossa sociedade, mas tais serviços precisam ser acessíveis a todos. Precisamos balancear as necessidades de cunho ambiental a economia e aos aspectos sociais. Serviços como, instalações hidrossanitárias em sua casa, programa de gerenciamento de resíduos (Lei federal 12.305/10) e captação de águas pluviais em seu condomínio, além de estar seguindo a lei, está cuidando da saúde de todos e contribuindo para realizar um dos objetivos de desenvolvimento humano (ODS) 6 -objetivos criados pela organização das nações unidas-, em que visa assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas todos.


A ESA Jr., traz esses serviços com qualidade e custos abaixo do mercado. Contate-nos através dos nossos portais de contato ou CLIQUE AQUI para saber mais sobre a nossa iniciativa e como podemos os ajudar.


Autoria: Beatriz Cruz

Graduanda em Interdisciplinar de Ciência e Tecnologia - UFBA


Referências:


BRASIL. Lei nº 12305, de 02 de agosto de 2010. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Brasília, Disponível em: http://www.diariodasleis.com.br/busca/exibelink.php?numlink=214881. Acesso em: 27 abr. 2020.


NAÇÕES UNIDAS (BRASIL). Objetivo 6. Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/ods6. Acesso em: 27 abr. 2020.


Madeira, Rodrigo F. O setor de saneamento básico no Brasil e as implicações no marco regulatório para a universalização do acesso. Disponível em:http://www.bndes.gov.br/bibliotecadigital. Acesso em 27 de abril


Ribeiro,Júlia W. e Rooke, M. S. Juiz de Fora. 2010. Saneamento básico e sua relação com o meio ambiente e à saúde pública. Universidade Federal de juiz de Fora. Curso de especialização em análise ambiental. Acesso em 27 de abril.




33 visualizações

marketing@esajr.com

Whatsapp: +55 (71) 99124-2890

Horário de funcionamento: 08h - 17h

  • soon-873316_960_720
  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • LinkedIn ícone social

Escola Politécnica da UFBA, 3º andar. Rua Aristides Novis, nº 2, Federação.