Economia Circular: estratégia para consumo consciente

Atualizado: Set 28

Atualmente se fala muito em consumo consciente, o que não deixa de ser um assunto muito necessário, porém, não é uma preocupação única. Devemos analisar o que consumimos, o que utilizamos e os seus impactos em relação ao descarte que estes bens podem trazer futuramente. Além de ter uma preocupação voltada para essa linha de pensamento ecológico, devemos colocar em pauta a forma como esses produtos são produzidos.

Como ele foi feito? Quais as condições de trabalho das pessoas que produzem esse bem que estou consumindo agora? Quais as condições ambientais voltadas para a produção? Qual foi a logística utilizada até este produto chegar a mim? Posso dar novos usos? E quando nada mais for possível, como devo descartá-lo?

Para que a economia circular se torne realidade efetiva no mundo, esses e outros questionamentos devem ser levantados. E todas essas perguntas devem ter resposta, porque todas as empresas que criam algo são responsáveis pelo produto do início ao fim de sua utilidade. Embora hoje estejamos habituados com uma forma linear de produção e de consumo: extração, transformação e descarte. No modelo circular, são criados ecossistemas onde empresas aproveitam a energia e materiais um dos outro.

E o que seria essa economia circular?

Economia Circular é um conceito de modelo estratégico, que se enquadra na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia.

O modelo circular visa à substituição da forma linear de fabricação estilo “fim de vida”, por novos fluxos circulares focado na reutilização, restauração e renovação num processo interligado onde a Economia Circular é peça principal para promover a dissociação entre crescimento econômico e o aumento no consumo de recursos, relação esta, vista como inflexível.

Mas não é só isso, esse modelo amplia o âmbito e foco nos movimentos de gestão de resíduos e reciclagem, preocupando-se desde o redesenho de processos, produtos e tipos de negócios até a o aperfeiçoamento da utilização de recursos (buscando um ciclo mais eficiente possível de produtos, componentes e materiais nos circuitos técnicos e também biológicos), Com isso, pretende-se focar no desenvolvimento de produtos e serviços economicamente mais viáveis e sobretudo, ecologicamente mais efetivos.

A matemática para uma prática de Economia Circular é simples: Minimização da extração de recursos, maximização da reutilização, mais aumento na eficiência e desenvolvimento de novos modelos de negócio.

Entendido a proposta da Economia Circular, por que devemos utilizá-la ?

O evidente aumento populacional e por consequência, o crescimento na procura de recursos naturais, faz com que a sociedade atual vá de encontro a um arquétipo mais sustentável. Uma economia mais “ecológica”, que não prejudique o desenvolvimento econômico, assegurando a melhoria de condição de emprego e vida, mas que crie formas de regenerar e poupar ao máximo o “capital natural”.

Um modelo novo funcionando em circuitos fechados, fomentado pela inovação ao longo de toda a cadeia de valor, é apontado como uma solução alternativa a fim de minimizar o gasto exacerbado de materiais e perda de energia desnecessária.

E quais os benefícios que a Economia Circular traz?

Esse modelo traz a sua diferenciação no enfoque da manutenção do valor de produtos e materiais pelo mais espaço de tempo possível dentro do ciclo econômico.

Entende-se também que a Economia Circular entrega benefícios a curto prazo e oportunidades estratégicas em longo, frente a desafios como:

  • Volatilidade nos preços das matérias-primas e limitação no risco de fornecimentos;

  • Novas relações com clientes, programas de retoma, novos modelos de negócio;

  • Contribuição na conservação do capital natural, redução de emissão de resíduos e combate às alterações climáticas;

  • Melhora na competitividade econômica.

Se levarmos em consideração e aplicarmos a Economia Circular e todas as suas medidas de prevenção de resíduos, conceção ecológica, reutilização e outras ações “circulares”, poderemos gerar uma poupança líquida de 600 mil milhões de euros as empresas da União Européia (8% do total de seu volume anual), criar 170.000 empregos direto no setor de gestão de resíduos, e em paralelo, viabiliza uma redução de 2 à 4% das emissões totais anuais totais de gases de efeito estufa.


Autoria: Walter Júnior

Graduando em Bacharelado Interdisciplinar de Ciência e Tecnologia- UFBA

Quer nos referenciar?


JÚNIOR, Walter. Esa Jr. ECONOMIA CIRCULAR: ESTRATÉGIA PARA UM CONSUMO CONSCIENTE

Disponível em:https://www.esajr.com/post/economia-circular-estratégia-para-um-consumo-consciente.



Referências:


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRAS DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Disponível em <https://www.abnt.org.br>. Acesso em 25 de julho de 2020


A INICIATIVA ECO.NOMIA. Economia Circular: Estratégias. Disponível em <https://eco.nomia.pt/pt/economia-circular/estrategias#:~:text=Economia%20Circular%20%C3%A9%20um%20conceito,reciclagem%20de%20materiais%20e%20energia.>. Acesso em 26 de Agosto de 2020


REDE ASTA. Economia Circular: Mais do que o consumo consciente, é a produção consciente. Disponível em <https://www.redeasta.com.br/post/economia-circular-mais-do-que-o-consumo-consciente-e-a-producao-consciente?gclid=Cj0KCQjw7ZL6BRCmARIsAH6XFDKB12YnivtndKdoolGVRgj1GQclIoNlPm_lvjU8BIgFJaNmkQsxv-kaAp3MEALw_wcB>. Acesso em 26 de Agosto de 2020

10 visualizações

marketing@esajr.com

Whatsapp: +55 (71) 99276-4373

Horário de funcionamento: 08h - 17h​

Escola Politécnica da UFBA, 3º andar. Rua Aristides Novis, nº 2, Federação.

  • Facebook
  • LinkedIn - Black Circle
  • Instagram